@PatuemFoco

sábado, 8 de abril de 2017

RÚSSIA REAGE A BOMBARDEIO DOS EUA NA SÍRIA

Os Estados Unidos lançaram 59 mísseis sobre instalações militares sírias como represália ao ataque químico, atribuído ao governo Bashar-al-Assad, que matou cerca de 80 pessoas esta semana. O bombardeio, o primeiro autorizado pelo presidente Donald Trump, deixou ao menos seis mortos, provocou danos na base aérea da cidade de Homs e estremeceu as relações entre os Estados Unidos e a Rússia. As autoridades da Síria ainda não informaram se as vítimas eram civis ou militares.
Principal aliado de Assad, o presidente russo, Vladimir Putin, classificou a ofensiva norte-americana uma “agressão a um Estado soberano” e uma “violação do direito internacional”. Segundo Putin, a ação foi baseada em “pretextos inventados”. ”Esta ação de Washington causa um dano considerável nas relações russo-americanas, que já se encontram em um estado lamentável”, afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. Trump chegou à Casa Branca demonstrando bastante proximidade com Putin.
Trump disse que reviu sua opinião sobre o conflito na Síria depois dos ataques químicos que mataram mais de 70 pessoas, inclusive mulheres e crianças. “Acho que o que aconteceu na Síria é uma desgraça para a humanidade, e ele [Assad] está ali, e suponho que ele esteja gerenciando as coisas, de modo que suponho que algo deveria ocorrer”, declarou.
Segundo ele, é do interesse da segurança nacional dos Estados Unidos prevenir e deter a proliferação do uso de armas químicas mortais. “Não pode haver nenhuma dúvida de que a Síria utilizou armas químicas banidas, violou suas obrigações perante a Convenção sobre as Armas Químicas e ignorou os pedidos do Conselho de Segurança”, afirmou.
Ainda em declaração à imprensa, o presidente norte-americano afirmou que “chama todas as nações civilizadas para se juntar aos Estados Unidos para colocar um fim ao massacre e ao derramamento de sangue na Síria e para colocar um fim ao terrorismo de todos os tipos”.
Desde 2014 os Estados Unidos atacam bases do Estado Islâmico na Síria, mas nunca adotaram qualquer ação contra o regime de Assad, que também enfrenta o grupo terrorista. O presidente sírio tem apoio de Putin, que já impediu que o governo Barack Obama bombardeasse suas bases após um ataque químico que matou, em 2013, mais de 1.400 civis. Na ocasião, Obama anunciou uma ofensiva militar contra o governo da Síria, mas desistiu depois que o presidente da Rússia se dispôs a mediar uma negociação entre as duas partes.
CONGRESSO EM FOCO / Via Caraúbas Ontem e Hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO !!!

Prezado Amigo Web-Leitor, não publicarei comentários anônimos e, também, não aceito nenhum tipo de ofensas morais que possam vir a denigrir a imagem de alguém e não me responsabilizo por comentários que alguém possa vir fazer.
Pois, antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato !!!

Cordiais saudações,

CLAUDISMAR DANTAS -
(Editor - Blog PATU EM FOCO).